Categoria: Cabelo

Saiba o que pode causar queda de cabelo

Saiba o que pode causar queda de cabelo

A queda de cabelo normalmente não é um sinal de alarme, pois pode acontecer de forma completamente natural, especialmente durante as épocas mais frias do ano, como outono e inverno. Nestas épocas, o cabelo cai com mais porque a raiz do cabelo é menos irrigada por nutrientes e sangue e isso pode aumentar a queda de cabelo. No entanto, essa queda deve diminuir em épocas do ano mais quentes, como primavera e verão.

Além disso, pessoas que utilizam frequentemente produtos de alisamento no cabelo, aplicam muitas vezes chapinha ou fazem penteados que podem quebrar o cabelo, também podem apresentar queda de cabelo mais acentuada.

Já a queda de cabelo após tratamentos de saúde, como quimioterapia para o câncer, por exemplo, é relativamente normal mas deve ser sempre referido pelo médico antes de iniciar o tratamento, para que não seja um motivo de preocupação quando surge.

1. Excesso de estresse
Uma das principais causas de queda de cabelo é o excesso de estresse, tanto físico como mental. Isso acontece porque o choque do estresse, após um acidente de trânsito ou após o diagnóstico de uma doença grave, por exemplo, pode trocar o ciclo dos fios do cabelo, fazendo-os cair.

Em outros casos, o estresse pode não ser a causa principal da queda de cabelo, mas pode piorar a perda de cabelos que já exista por outro motivo. Conheças as principais consequências do estresse.

O que fazer: é aconselhado tentar reduzir a carga de estresse, participando em atividades de lazer, não apenas para tratar a queda de cabelo, mas também para garantir uma melhor qualidade de vida e evitar outros problemas mais graves que podem surgir com o tempo, como intestino irritável ou depressão.
2. Excesso de vitamina A ou B
Embora seja relativamente raro, a presença excessiva de vitaminas A ou do complexo B no corpo pode contribuir para a queda de cabelo. Esta situação é mais frequente em pessoas que estão tomando suplementos com algum destes tipos de vitaminas por muito tempo.

O que fazer: deve-se utilizar os suplementos alimentares apenas com orientação de um médico ou nutricionista, para evitar atingir as doses máximas recomendadas. Caso exista suspeita de excesso destas vitaminas, deve-se parar o suplemento e consultar um médico.
3. Gravidez
A queda de cabelo é relativamente comum em mulheres após o parto, não só devido às alterações hormonais que continuam a acontecer no organismo, mas também pelo estresse do parto. Geralmente, esta queda de cabelo surge nos primeiros 3 meses após o parto e pode durar até 2 meses.

Embora seja mais raro, a queda de cabelo também pode surgir durante a gestação, parecendo estar relacionada com o aumento do hormônio progesterona que pode ressecar o cabelo, deixando-o mais fraco e quebradiço.

O que fazer: o ideal é evitar ficar estressada pela queda de cabelo, pois é um processo natural, que irá melhorar com o tempo. Veja 5 estratégias para combater a queda de cabelo no pós-parto.
4. Alterações hormonais
Assim como durante ou após a gravidez, as alterações hormonais são uma importante causa de queda de cabelo e podem acontecer em vários momentos da vida, especialmente durante a adolescência. Além disso, mulheres que trocam de pílula ou que começam um novo método anticoncepcional hormonal também podem apresentar queda de cabelo temporária.

Leia também: queda de cabelo

O que fazer: caso se esteja tendo uma queda de cabelo muito intensa, deve-se consultar um dermatologista ou, caso se esteja tomando um anticoncepcional, falar com o ginecologista para avaliar a possibilidade de trocar o método.

5. Uso de antidepressivos e outros remédios
Algumas classes de medicamentos, como os antidepressivos, os anticoagulantes ou os remédios para pressão alta podem ter o efeito colateral de contribuir para a queda de cabelo, especialmente no início do tratamento ou quando já estão sendo utilizados por muito tempo. Outros remédios que podem ter este tipo de efeito incluem o metotrexato, o lítio e o ibuprofeno, por exemplo.

O que fazer: se existir suspeitas de que a queda de cabelo está sendo prejudicada pelo uso de algum remédio, deve-se informar o médico que o receitou, avaliando a possibilidade de trocar para outro medicamento.
6. Anemia
Além de cansaço excessivo e palidez, a anemia também pode causar a queda de cabelo, já que os fios recebem menos sangue, nutrientes e oxigênio, tornando-se mais fracos e quebradiços. Geralmente, a anemia é causada pela falta de ferro, mas também pode surgir por outros fatores, como a diminuição de vitamina B12 no organismo.

O que fazer: na maior parte dos casos, a anemia surge por falta de ferro e, por isso, a primeira forma de tratamento consiste no uso de suplementos de ferro assim como o aumento da ingestão de alimentos com ferro, como carne vermelha, mexilhão, salsa ou feijão branco. Veja quais os principais tipos de anemia e como tratar cada um deles.
7. Hipotireoidismo
O hipotireoidismo acontece quando a tireoide não está funcionando corretamente e, por isso, existem vários tipos de hormônios que não são produzidos corretamente ou em quantidade suficiente. Alguns desses hormônios são muito importantes para o metabolismo e crescimento dos fios de cabelo e, por isso, quando estão em falta podem ser a causa da queda de cabelo.

O que fazer: caso se suspeita de uma alteração no funcionamento da tireoide deve-se consultar um endocrinologista para confirmar o diagnóstico e iniciar o tratamento adequado, que normalmente é feito com a suplementação de iodo. Saiba mais sobre como é feito o tratamento do hipotireoidismo.

O que fazer para tratar a queda de cabelo
Para tratar a queda de cabelo pode-se recorrer a produtos específicos, remédios ou suplementos como:

Loção capilar com Minoxidil a 5%: Deve-se aplicar 2 vezes ao dia no couro cabeludo. Ele ajuda a revitalizar o couro cabeludo, aumentando a irrigação sanguínea e fortalecendo os fios existentes, diminuindo a sua queda;
Shampoos e loções específicas para queda de cabelo;
Suplementos nutricionais para queda de cabelo, como o Pill Food ou silício orgânico, que contêm nutrientes implicados no crescimento e na saúde dos fios de cabelo. Preço Pill Food, em média 30 reais, e o silício orgânico.
Remédios para queda de cabelo, orientados pelo dermatologista, como a Finasterida, Propecia ou infiltração com corticoide na raiz do cabelo. Saiba mais em: Remédios para calvície.
Além disto, é também importante que a alimentação contenha todos os nutrientes necessários para o organismo, pois a queda de cabelo pode ser causada por dietas muito restritivas, pobres em calorias e pobre em proteínas animais.

Confira uma lista de alimentos que ajudam a combater a queda de cabelo.

Tratamentos para queda de cabelo
Alguns tratamentos que podem ser recomendados pelo dermatologista para tratar a queda de cabelo são:

Laser de baixa potência, que deve ser aplicado 1 vez por semana por, no mínimo, 10 semanas. Ele estimula a regeneração da matriz que perdeu o cabelo e impede que o cabelo saudável venha a cair, melhorando progressivamente a queda de cabelo. Preço: cada sessão custa em média 50 reais;
Carboxiterapia, pois aumenta a irrigação sanguínea do couro cabeludo e facilita a penetração de substâncias químicas para a queda de cabelo. Preço: cada sessão custa em média 70 reais;
Implante de cabelos é uma técnica cirúrgica na qual implantam-se fios de cabelo diretamente no couro cabeludo. Apesar do resultado imediato, após cerca de 6 meses, estes fios tendem a cair e podem causar lesões no couro cabeludo. O preço varia entre 10 e 25 mil reais;
Transplante capilar é uma cirurgia onde se retira uma faixa de cabelo da parte de trás do cabelo e se implanta na parte da frente, próximo à região da testa ou onde houver maior necessidade. É uma opção para quem está ficando calvo ou careca.
A escolha pelo melhor tratamento deve ser feita pelo dermatologista, após avaliação e diagnóstico da queda de cabelo.

HairLoss Blocker Funciona? – Testes, Efeitos nocivos e Como Ingerir

HairLoss Blocker Funciona? – Testes, Efeitos nocivos e Como Ingerir

HairLoss Blocker (HL Blocker): o que é?

HairLoss Blocker ou HL Blocker (última versão ) foi o suplemento para queda de cabelo mais comercializado no Brasil em 2016, triplicou as vendas em 2017 e caminha para palpitar mais um recorde este ano.

A primeira versão do produto se chamava HairLoss Blocker.

A nova versão, tragada de HL Blocker.

HairLoss Blocker: composto

A novidade de HairLoss Blocker está em sua composto, única, qualquer medicamento ou suplemento para calvície reúne alfa-tocoferol, ácido pantotênico ( bastante conhecido pelo Pantogar), e groselha serva. Segue elaboração completa:

  • Alfa-Tocoferol.
  • Ácido Ascórbico.
  • Ácido Pantotênico.
  • Biotina.
  • Zinco.
  • Magnésio.
  • Ácido Fólico.
  • Groselha Serva.

Túlio Maravilha assina por baixo

HairLoss Blocker virou explicação em programas de TELEVISÃO e revistas. Tanta conjunto de meios de comunicação, acabou atraindo a atenção de famosos, como do ex-jogador Túlio Maravilha, que ficou conhecido pela sua amplo grosseria e gols, especialmente jogando pelo Botafogo de Futebol e Regatas, e se tornou garoto-propaganda do produto.

No entanto, a requisito era a posterior: Túlio apenas aceitaria patrocinar o suplemento se fizesse resultado nele mesmo. O ex-atacante aparecia com sua guedelha rala, as entradas proeminentes, e conta que já tinha verificado mais produtos e não teve os resultados que almejava.

HairLoss Blocker funciona?

O seção de biologia da Faculdade de Ohaio testou HairLoss Blocker em um pesquisa que envolveu 860 voluntários, sendo 800 homens e 60 mulheres, cerca de 90% deles diagnosticados com alopecia androgenética, a maior parte com graus intermediários (4 e 5) e avançados (6 e 7) de calvície, 8% com alopecia areata, e 2% com mais tipos de calvície.

Essas indivíduos foram divididas em 4 categorias, procurando atingir uma subdivisão igualitária entre volúpia, tipo e nível de alopecia. Em um dos categorias foi regido HairLoss Blocker, noutro Minoxidil 5% para homens e 2% para mulheres, no alcoviteiro uma fórmula enriquecida com ácido pantotênico, e o último recebeu um placebo.

A cada 15 dias os voluntários compareciam ao centro de pesquisas da faculdade para confirmar como aparecia a evolução ao tratamento, e dessa maneira o fizeram 4 vezes, por 2 meses seguidos.

O índice de abstenção para o perícia foi de 22% para homens e 11,7% para mulheres, o que significa que participaram das 4 avaliações e concluíram a primeira parte do perícia 624 homens e 53 mulheres. Em seguida disso, 83,5% dos homens e 88,7% das mulheres aceitaram seguir os tratamentos com os respectivos produtos em casa, por mais 4 meses.

Findado o tempo de testes, os resultados das indivíduos que utilizaram HairLoss Blocker foram os seguintes:

  • 24% reportaram recebido de volume capilar, especialmente nas entradas e na região da coroa.
  • 85% afirmaram que a calvície foi completamente controlada nesse tempo, e notaram menor redução de fios no escasso do toalete, almofada, moda etc.
  • 89% confirmaram uma precipitação do desenvolvimento capilar.
  • 79% disseram que havia sido o melhor tratamento que já haviam realizado para queda de cabelo.
  • 91% respondeu “ efetivamente ” no momento em que discutido se aparecia contente com o produto e se continuaria a utilizá-lo.

De acordo com os números acima, infere-se que o produto possui sucesso no retardo da calvície, lentificando a minituriazação dos fios, e além disso, embora da tarifa do público que reportou recebido capilar parecer baixa (24%, ou seja, 136 indivíduos num completo de 568), este algarismo é absurdamente superior ao dos concorrentes, chegando a ser duas vezes maior, e em alguns casos até 3. E a maior proveito é que o produto é sensato de efeitos nocivos, o que deixa-o a frente de remédios tradicionais, como a Finasterida.

Ao fim do perícia, a entendimento divulgada pelos cientistas foi a posterior:

“… as taxas de alfa-tocoferol se mostraram benéficas no crescimento da vascularização do couro cabeludo, com consumo sanguínea 13% superior à obtida por Minoxidil 5%… o suplemento diminuiu sensivelmente a atuação da enzima 5-alfa-redutase, implicando em diminuição alimentício da exercício dos receptores de di-hidrotestosterona no couro cabeludo, no entanto, também em proporções seguras, isto foi ganho por causa de à porção equilibrada de groselha serva …”

A melhor saída para a calvície continua sendo o transplantação capilar, no entanto, este é um tratamento custoso, que varia de R$7.000,00 a R$42.000,00 por intervenção, porém também dessa maneira indivíduos que se submetam a este técnica não ficarão livres de medicamentos e suplementos para a calvície, os próprios cirurgiões prescrevem medicamentos para serem usados após a intervenção, já que os fios não transplantados também estarão sujeitos à queda. Dessa maneira, a essencial discórdia não é rebater se estes medicamentos funcionam ou não, e efetivamente testá-los e obter o que melhor lhe sirva.

HairLoss Blocker: como ingerir

De acordo com o fabricante, deve-se ingerir uma a duas cápsulas do produto ao despertar, e uma a duas antes de dormir, não mais que 4 cápsulas por dia, dosagens acima disso não potencializarão os resultados.

HairLoss Blocker: mulher pode ingerir?

Efetivamente, tanto homens quanto mulheres são capazes de realizar utilização do produto.

HairLoss Blocker e ANVISA

A subdivisão e consumo do HairLoss Blocker são regulamentadas pela ANVISA, Aut. 6.04.572-1, e também de acordo com a mudança RDC 27/2010, suplementos naturais são isentos de repartição.

HairLoss Blocker: contraindicações

Estão contraindicados ao tratamento capilar com HairLoss Blocker: gestantes, lactantes, e mais baixos de 16 anos.

HairLoss Blocker: no qual adquirir

O produto é comercializado especialmente pela internet, para acessar o site do distribuidor oficial, clique aqui.

E você?

Gostou do artigo? Também possui qualquer incerteza? Já experimentou HairLoss Blocker? Compartilhe conosco o medicamento / suplemento que melhor funcionou para regular sua queda de cabelo.